Vík é uma pequena e charmosa cidade no sul da Islândia que merece a sua atenção. Depois de passar pela cachoeira de Skógafoss e o Dakota Wreck (o avião caído na praia), este vilarejo surgirá no seu caminho para abrilhantar ainda mais a sua viagem com a Reynisfjara Black Sand Beach, uma praia de areia preta na Islândia.

A Praia de Areia Preta de Reynisfjara é a principal atração de Vík e uma das principais paradas de quem está viajando pelo sul da Islândia a procura de cenários exóticos. Este é mais um dos paraísos fotográficos que fomos apresentados durante a viagem com nossos amigos da Fora de Foco Expedições.

Vista da caverna de Reynisfjara e seus colossos
Vista da caverna de Reynisfjara e seus colossos

Estacionamos o carro bem ao lado de um restaurante que serve de apoio aos frequentadores da praia. Não é bem uma praia para banho, claro, como nenhuma da Islândia deve ser, mas sim para apreciar suas maravilhas esculturas naturais e paisagens espetaculares.

Caso queira comer algo, o restaurante tem bons pratos no cardápio, porém demoram muito pra servir. Opte por sopas, caldos, bebidas quentes e sanduíches prontos para aproveitar melhor seu tempo na praia. Foi o que fiz e não me arrependi.

O primeiro impacto é sentido logo na chegada, ao caminhar pelas areias negras da praia. Mas o que mais impressiona são as formações rochosas no mar, como guardiões da Caverna Hálsanefshellir. As paredes da caverna são formadas por colunas hexagonais de rocha negra basáltica, que apareceram após intensas atividades vulcânicas quando a lava quente se esfriou rapidamente em contato com o ar gelado da Islândia.

Os cenários da Islândia inspiraram grandes produções de Hollywook, tais como Star Wars, Noé, Game of Thrones, A vida secreta de Walter Mitty, Thor e Vikings. A Caverna Hálsanefshellir apareceu em várias cenas, e a praia Reynisfjara também.

Colunas de basalto da caverna em Reynisfjara Black Sand Beach
Colunas de basalto da caverna em Reynisfjara Black Sand Beach

Mirantes de tirar o fôlego!

Do lado oposto da praia estão outros dois mirantes que também merecem a sua atenção. O primeiro oferece uma vista panorâmica da Reynisfjara Black Sand Beach, só que vista do alto. Vale a pena a visita. Antigamente era possível descer por uma trilha até a areia, mas depois que um grupo de turistas foi arrastado pelo mar, eles colocaram correntes impedindo o acesso a praia.

Guarde seus suspiros para o segundo mirante que a Fora de Foco Expedições nos levou (e pode te levar também). Ele te deixa de cara para o Dyrhólaey Arch, uma ponte de pedra natural que forma um arco no mar. Sua formação rochosa permitiu a erosão em milhares de anos no mar violento da Islândia.

Não foi nada fácil chegar até o Mirante de Dyrhólaey. A força dos ventos nos arrastavam e as vezes nos jogava no chão. Algumas pessoas brincavam de pular para ver até onde seriam levados com o vento. A dica é formar uma “corrente” e ir todos juntos. Eu garanto que vale muito a pena.

A vista deste lado é para a praia de Sólheimasandur, onde está o Dakota Wreck. Óbvio que não é possível avistá-lo, mas junto com os arcos formam um dos cenários mais incríveis e exóticos da Islândia.

* O projeto de Caçada a Aurora Boreal na Islândia foi um convite da agência Fora de Foco Expedições ao portal Trilhas e Aventuras. Agradecemos aos apoiadores dessa grande aventura: Loja Benevento, EasySim4u e Blue Car Rental.

Booking.com

LEIA TAMBÉM

2 Comentário

Deixe seu Comentário